COMO ESTÁ A EDUCAÇÃO EM NOSSO PAÍS ?????


Sábado, Maio 30

MEC: Um em cada cinco professores não pode dar aulas, diz Censo Escolar 2007.

Demétrio Weber
(O governo está tentando mudar este quadro mas, existem políticos que ainda resistem a estas mudanças) Comentado por Claudine.



.Parabéns aos pesquisadores que elaboraram esta estatística
As alternativas para as mudanças estão acontecendo lentamente e com muita resistência.
Os concursos que estão vinculados a educação estão se realizando porém, existe resistência para a chamada dos concursados que são educadores com formação acadêmica., existe governante que acredita não ser necessário na escola pública uma equipe de Técnico de Educação para coordenar e articular através de um olhar multidisciplinar uma educação qualitativa junto aos educadores, o país perde em qualidade educacional com esta resistencia .E a cidadania dos concursados( a meritocracia)que para acontecer é necessário até mandado de segurança, isso é uma reflexão em todo o processo.
Ai está um exemplo das resistências para as mudanças na educação , e o governo confia naqueles que são responsável por articular esta situação, porem nem todos cumprem com a proposta educacinal brasileira.
A qualificação de educadores atraves da academia não garante qualidade total, porque existe faculdades que não oferecem qualidades em seus cursos e também alunos que não são comprometidos com saberes acadêmicos.
Alguns acreditam que teorias não servem para nada, quando na verdade não é assim, estas vão influenciar em sua prática de sala de aula, é para isso que servem as teorias principalmentes as correntes pedagógicas, por isso a exigências de educadores com novos olhares.
Com o resultados estatísticos perguntamos Como trabalhar uma EDUCAÇÃO AMBIENTAL FORMAL , se nossas escolas apresenta-se neste patamar de nivel de educação por parte dos professores?????? Se a proposta de uma educação normal não esta sendo passada com respaldo profissional. É hora de fazer uma reflexão para não banalizar e EA.


BRASÍLIA - Um em cada cinco professores de educação básica (20,3%) não poderia dar aulas, se a legislação fosse levada ao pé da letra no país. Ao todo, pelo menos 382 mil professores do total de 1,8 milhão de profissionais em atividade precisam de um diploma imediatamente, revela estudo que será lançado nesta quinta-feira pelo Ministério da Educação (MEC), com dados de 2007. Nesse contingente há 119 mil professores leigos, que cursaram no máximo até o ensino médio; 127 mil docentes com diploma de nível superior mas sem curso de licenciatura, exigido para o magistério; e 136 mil professores que têm apenas o curso de normal ou de magistério e não poderiam dar aulas para alunos da 5 à 8 série do ensino fundamental ou para o ensino médio, como fazem.

No ensino fundamental, Rio está entre os piores do país .
É preciso ter pelo menos o curso de magistério para lecionar em creches, pré-escolas ou turmas da 1 à 4 série do ensino fundamental (1 ao 5 ano). Os chamados leigos, que representam 6,3% dos professores do país, portanto, não atendem à exigência mínima de formação do ponto de vista legal. Entre os 119 mil nesta situação, mais grave é o caso de um grupo de 15.982 profissionais que só cursaram o ensino fundamental. Desses, 3,8 mil atuam nas séries finais do fundamental (de 5 a 8 série) e 441 professores dão aulas no ensino médio - nível de ensino que eles próprios não têm.

Os 103 mil professores leigos com diploma de nível médio estão espalhados por 52.003 escolas, onde estudam 6,6 milhões de alunos. Outros 136 mil professores estão em situação irregular: concluíram apenas o magistério, mas lecionam nas séries finais do ensino fundamental (5 a 8) ou até no médio. Para dar aulas da 5 série em diante, a lei exige a graduação em curso de licenciatura. O MEC quer exigir que todos tenham diploma universitário. Projeto de lei nesse sentido será enviado esta quinta-feira ao Congresso.

Do total de 1,8 milhão de profissionais, 594.273 (31,5%) não têm curso superior e outros 127 mil (6%) são formados em outras áreas. Mesmo considerando apenas docentes com nível superior, é grande a proporção de profissionais que lecionam no ensino médio sem formação específica para a respectiva disciplina.
0