O Socioeconômico tem que esta articulado com a sustentabilidade, buscando uma qualidade de vida. É necessário planejar ações contínuas e comprometidas.

Sustentabilidade esta ligada a ótica da equidade. È fazer o simples não incentivando os modelos de produçao e consumo.

Convênio irá beneficiar agricultura familiar e catadores de lixo
Versão Para Impressão Enviar Para um Amigo Del.icio.us Twitter Facebook Notícias RSS

Sebrae e Ministério do Meio Ambiente assinaram nesta sexta-feira (3) acordo de cooperação para criar oportunidades de negócios e oferecer capacitação técnica a partir do próximo ano
Regina Xeyla
Brasília - Capacitar populações tradicionais, agricultores familiares e catadores de materiais recicláveis para que desenvolvam sustentabilidade socioambiental nas suas atividades e possam atender às exigências de novos mercados. Esse é o objetivo do Acordo de Cooperação assinado nesta sexta-feira (3), na sede do Sebrae, em Brasília, pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e a diretoria executiva da instituição.
Um dos focos da parceria é incentivar a formalização de catadores de materiais recicláveis por meio do associativismo e cooperativismo. "Todos terão novas oportunidades de negócios e capacitação técnica a partir do próximo ano", garantiu a ministra. O apoio às comunidades de agricultores familiares também está na agenda do acordo.
Para ela, sem visão econômica e social não será possível alcançar os objetivos da agenda ambiental do País. “Quando falamos de proteção ambiental nos referimos não só à natureza, mas a toda a população brasileira, por isso é importante trabalhar com comunidades e populações tradicionais”, disse a ministra.
E acrescentou: “com este acordo estamos estudando novas metodologias e possibilidades de trabalho, promoção de qualidade de vida e melhoria de renda para estes povos. Eles precisam de mais oportunidades e nós precisamos deles para proteger as florestas”.
Sobre os catadores de lixo, a ministra destacou dados de pesquisa ‘Sustentabilidade Aqui e Agora’, feita recentemente pelo Ministério do Meio Ambiente para avaliar a consciência ambiental da população em 11 capitais do País. Um dado chamou a atenção da ministra. De acordo com ela, 65% do público entrevistado vê os catadores como principais responsáveis pela coleta e reciclagem do lixo.
“Por isso, precisamos tirá-los da economia informal e dar-lhes o reconhecimento merecido. É preciso profissionalizá-los, por meio de capacitação. Sobre isso, o Sebrae é parceiro estratégico. Vocês vão fazer a diferença”, afirmou.
O presidente do Sebrae, Paulo Okamotto destacou que essa foi a primeira visita ministerial à nova sede do Sebrae, inaugurada no final de novembro. Okamotto também ressaltou que o Sebrae tem desenvolvido uma série de iniciativas com o Ministério do Meio Ambiente e que agora é hora de se fazer um trabalho maior.
“Sustentabilidade está ligada a competitividade, e as micro e pequenas empresas precisam estar inseridas neste processo”, disse Okamotto. “A partir deste convênio, estaremos produzindo juntos conhecimento adequado para levar a este público que está desenvolvendo pequenos negócios em todo o Brasil.”
De acordo com o diretor-técnico do Sebrae, Carlos Aberto dos Santos, no exterior muitos perguntam como o Brasil tem níveis de reciclagem elevados. Para o diretor, a resposta é simples: “o meio ambiente no Brasil está associado ao desenvolvimento econômico. A chamada 'economia verde' é a que tem de mais avançado para as micro e pequenas empresas”, disse.
Fonte: Agência Sebrae de Notícias - em 03/12/2010
0